A NASA anunciou, esta terça-feira, ter descoberto mais 1.284 novos planetas no universo, cuja orbita acontecerá em torno de uma ou mais estrelas, semelhante ao que acontece na Via Láctea com o sol.

O telescópio Kepler foi o responsável pela descoberta. O aparelho tem como principal missão encontrar planetas com características semelhantes à Terra e potencialmente habitáveis.

Esta descoberta mais que duplica o número de planetas confirmados pelo Kepler, o que nos dá nova esperança de que em algum lugar lá fora, em torno de uma estrela muito parecida com à nossa [o sol], podemos, eventualmente, descobrir outro planeta [como a Terra]”, disse Ellen Stofen em comunicado, cientista-chefe na sede da NASA, em Washington.

A análise desta descoberta começou em julho do ano passado quando foram identificados 4.302 potenciais planetas. Destes, a NASA confirmou 1.284 com maior probabilidade, mais de 99%, de terem uma massa planetária semelhante às características dos planetas da Via Láctea.

Antes de termos lançado o telescópio espacial Kepler, não sabíamos se os exoplanetas [planeta que orbita uma estrela que não seja o Sol, num sistema planetário diferente do nosso] era raros ou comuns”, afirmou Paul Hertz, diretor da Divisão de Astrofísica na sede da NASA. “Esta descoberta diz-nos que as próximas missões podem levar-nos mais perto de descobrir se estamos sozinhos no universo”.

Esta é a primeira vez que o telescópio Kepler, em missão desde março de 2009, encontra planetas do tamanho da Terra potencialmente habitáveis. Durante quatro anos, Kepler monitorizou as movimentações de 150 mil estrelas para compreender a sua trajetória no universo. O telescópio da NASA também foi responsável pelo registo, esta segunda-feira, do momento em que o trajeto de Mercúrio passou diante o sol.