Uma equipa internacional de astrónomos descobriu um novo planeta rochoso fora do Sistema Solar, com uma massa 17 vezes maior do que a Terra, anunciou, esta segunda-feira, a Universidade de Genebra.

A caraterística rochosa do planeta, batizado como Kepler-10c, devido ao satélite que o detetou, pode implicar a possibilidade de existência de vida nele, admitiu o astrónomo suíço Stéphane Udry, coautor da investigação, citada em comunicado pela universidade.

O novo planeta situa-se a 560 anos-luz da Terra, o que significa que está um pouco mais afastado do «planeta azul» do que Kepler-186f, o primeiro planeta fora do Sistema Solar, identificado recentemente, com um tamanho comparável ao da Terra e no qual os cientistas creem que pode haver água em estado líquido.

O Kepler-10c orbita uma estrela semelhante ao Sol em 45 dias e encontra-se na direção da constelação do Dragão, estimando os astrónomos que tenha 11 mil milhões de anos, pelo que a sua descoberta prova que houve planetas do tipo terrestre que se formaram muito cedo.