O presidente-executivo da Sony, Kazuo Hirai, disse, esta terça-feira, que o ciberataque à Sony não provocará um impacto financeiro significativo.

«Ainda estamos a analisar os efeitos do ataque cibernético, afirmou Hirai. «No entanto, não vejo isso como algo que vá causar uma perturbação material nas operações de negócios da Sony Pictures, em termos de resultados para o ano fiscal atual», acrescentou.

O estúdio de cinema sofreu o ataque informático, em novembro, duas semanas após ter lançado o filme que desencadeou o acontecimento. A comédia «The Interview» retrata a tentativa fictícia de assassinar o líder norte-coreano, Kim Jong Un. Os Estados Unidos atribuíram, assim, a culpa pelo sucedido à Coreia do Norte, que foi penalizada com sanções.

Apesar da investida cibernética, a Sony Pictures Entertainment afirma que o filme gerou a receita de 36 milhões de dólares, sendo que o custo de produção foi de 44 milhões de dólares.

A empresa afirma ainda que «The Interview» levantou 31 milhões de dólares em vendas online, cabo e satélite.
O filme arrecadou, também, outros 5 milhões de dólares em 580 salas de cinema independentes, que o exibiram na América do Norte.