A sonda Juno deverá dar um mergulho suicida em Júpiter para se autodestruir. O investimento de mais de mil milhões de euros, que está envolvido na missão, será destruído para evitar que Juno caia na Europa, uma das luas de Júpiter e onde se acredita existir vida.

A NASA criou uma animação que exemplifica o que vai acontecer com a sonda espacial Juno, em fevereiro de 2018, assim que completar 20 meses de recolha de informações sobre o maior planeta do Sistema Solar:  

A missão de Juno, que teve início há cinco anos atrás, terá um fim trágico: a sonda espacial vai entrar na “deorbit phase”, ou seja, passará cinco dias e meio em viagem para se autodestruir na atmosfera de Júpiter. O maior planeta do Sistema Solar tem uma atmosfera muito dura, o que irá fazer com que a sonda se queime de imediato.  

O mesmo aconteceu com a sonda Galilleo, em 2003, uma vez que o propósito de ambas as missões não passa por trazer amostras à terra. No entanto, também existe outro motivo: uma das luas de Júpiter, a Europa, é considerada como um dos lugares do Sistema Solar com maior probabilidade de existir vida, dada a suspeita presença de água.

De acordo com a BBC, um eventual impacto poderia contaminar a água existente na lua Europa e, assim, prejudicar eventuais seres que lá habitem com micróbios terrestres. Com a destruição de Juno na atmosfera de Júpiter, todos os micróbios terrestres irão ser destruídos, eliminando a hipótese de contaminação e as bactérias que ultrapassarem a atmosfera serão destruídas com a radiação.

Atualmente, a NASA está a investigar como poderá ser enviada uma sonda para a lua Europa, de forma a confirmar a existência de vida. Ganimedes e Calisto, outras luas do planeta, estão também a ser alvo de estudo e são candidatas a receber uma sonda espacial.

A NASA e o Gabinete de Proteção Planetária têm regras muito rígidas acerca da contaminação do espaço, em especial quando se tratam de lugares onde existe a possibilidade de existir vida. Com a destruição da sonda espacial Juno, coloca-se um novo problema: a questão do lixo espacial.

Num vídeo divulgado pelo canal Space Videos, pode acompanhar em tempo real uma simulação de Juno no percurso pela órbita de Júpiter: