Stacy Yepes, uma canadiana de 49 anos, está provavelmente viva graças a uma selfie. Em vez de uma fotografia, a mulher fez um vídeo quando estava a ter um ataque.

Já não era a primeira vez que a mulher se queixava do rosto paralisado e que as palavras lhe saíam entarameladas, mas, nas urgências do hospital diagnosticaram-lhe um episódio de stress.

Então, dois dias depois, sentiu os mesmos sintomas enquanto conduzia, parou o carro, e fez um vídeo dela própria para mostrar aos médicos.

«Os sintomas voltaram», disse Stacy Yepes para a câmara do telemóvel, e acrescentou que «ao sorrir, a boca se desviava para a esquerda», tal como o simples gesto de levantar a mão era-lhe difícil.

Levou o vídeo a um hospital de Toronto e, pela visualização, chegou o diagnóstico: estava a ter pequenos acidentes vasculares cerebrais.

O vídeo pode mesmo ter-lhe salvo a vida e evitado uma crise maior.

Stacy Yepes, em entrevista à CBC News, mostrou-se relativamente bem e aliviada por finalmente estar a ser tratada para o seu problema: «Eu sabia que não se tratava de mero stress».

Os médicos elogiaram-lhe a «criatividade» por se lembrar de fazer um vídeo, mas deixam um alerta à população. Se sentir alguns destes sintomas, não faça um vídeo e ligue imediatamente para o número de emergência.