O perigo espreita na Internet a cada tecla. Uma ameaça virtual e não física, mas que pode provocar muitos danos. Que o digam os sul-coreanos, com 100 milhões de dados de cartões de crédito usurpados. Nem o presidente escapou. Nem o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. Os hackers entraram no sistema de um banco e «serviram-se» à vontade.

Ou seja, os dados pessoais de 20 milhões de sul-coreanos ficaram expostos e em perigo, o que já levou a uma onda de revolta e à intenção de proceder a ações judiciais por parte das vítimas contra as empresas de crédito, como adianta a Reuters.

Os sul-coreanos têm, em média, quatro cartões de crédito. Desde que foi dado o alerta, na terça-feira, meio milhão pediu novos créditos.

A gravidade do caso já levou o governo a pedir uma investigação. Afinal, em causa estão os dados de 40 por cento da população, como acrescenta a CNN.

Nos Estados Unidos, uma situação idêntica ocorreu a cerca de 100 milhões de clientes, o que já levou a empresa a pedir desculpa aos clientes.

Casos destes ilustram o alerta dado pelo gabinete de informação e segurança alemão, que avisou na terça-feira de que há 16 milhões de contas de email e passwords em perigo. A internet não tem fronteiras, o perigo é à escala planetária. Por isso, o BSI (nome do gabinete) lançou uma aplicação online que permite saber se a conta foi invadida ou não e, em caso afirmativo, aconselham os utilizadores a atualizarem todas as suas senhas e a optarem por passwords menos óbvias e, com isso, menos fáceis de piratear.