A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), ligada à ONU, está a desenvolver pesquisas para usar a tecnologia nuclear com o objetivo de eliminar o mosquito da dengue.

Laércio António Vinhas, embaixador brasileiro na agência, revelou à Rádio ONU que a intenção é combater o mosquito através da técnica do inseto estéril. Este método é já utilizado no caso da mosca da fruta.

«A agência tem um programa, e no Brasil também está a ser trabalhado, que é usar essa técnica para o caso do Aedes aegypti, no sentido de desenvolver, em laboratório, um inseto com as mesmas características do inseto encontrado na natureza, e produzir uma estirpe que eliminaria as fêmeas e esterilizaria os machos», disse Laércio em entrevista à rádio, segundo a Lusa.

A pesquisa da AIEA está em fase de criação de mosquitos semelhantes ao Aedes aegypti.