Bill Gates diz que Ray Kurzweil é «a melhor pessoa a prever o futuro da inteligência artificial». E o diretor de engenharia da Google não faz por menos. Está a trabalhar numa tecnologia que seja capaz de compreender os seres humanos, «melhor do que eles próprios».

O inventor afirmou em entrevista ao blogue Observer que a melhoria dos sistemas artificiais é o passo «natural» que se segue. «Não é nenhuma invasão de Marte. Nas próximas décadas, a nossa civilização vai ser cada vez mais dominada por componentes não-biológicos.»

A importância de sistemas computorizados no futuro é a razão do projeto de Ray Kurzweil e da Google.

«O meu objetivo é ajudar a criar um sistema de compreensão da linguagem», afirmou na mesma entrevista. Tornar os computadores capazes de ler e apreender toda a informação dos utilizadores é a ideia principal. E, mais tarde, «conseguirem ter um diálogo inteligente e responderem a questões».

Ray Kurzweil não receia ambicionar mais. O diretor acredita que a Google poderá em breve «responder a questões antes mesmo de nós as colocarmos». «Vai conhecer-nos melhor do que o nosso parceiro mais íntimo, ou até mesmo melhor do que nós próprios», prometeu.

Uma promessa que vai ao encontro da opinião já há muito defendida pelo diretor. Kurzweil diz que em 2029 os computadores vão superar a inteligência humana.

Recentemente, um dos filmes nomeados aos Óscares deste ano provocou uma discussão que se repete ao longo dos tempos: humanos versus máquinas.

«Her», protagonizado por Joaquin Phoenix, conta a história de um homem que acaba apaixonado por um sistema operativo, na voz de uma mulher. O diretor de engenharia da Google também já comentou o filme e defende que «não é uma fantasia assim tão irreal».

Kurzweil diz mesmo que a previsão da história fica aquém da realidade possível. «Muita da tensão do filme deve-se ao facto de o sistema operativo não ter um corpo pelo qual a personagem se possa apaixonar. Mas isso é irrealista. No futuro será tecnicamente fácil proporcionar-lhe uma presença visual que complemente a sua presença virtual», argumentou.

Ray Kurzweil é reconhecido pelas suas previsões sobre a evolução de sistemas inteligentes. Fundou a sua própria empresa e foi pioneiro no desenvolvimento de programas de reconhecimento de carateres e de fala. Kurzweil quer agora colocar a Google no topo do desenvolvimento da inteligência artificial.