Ainda está fresca na memória a última edição da E3 de Los Angeles, a maior feira de entretenimento digital de todo o Mundo. Os videojogos são um mundo capaz de encher o olho a pequenos e graúdos - porventura o mais valioso no mercado do entretenimento. No ano que vem, entre hardware e software, é coisa para já valer qualquer coisa como 111 mil milhões de dólares. Este ano, como era de esperar, as consolas de nova geração eram as rainhas da festa. Vamos à Playstation e à XBox, e prometemos falar da Nintendo numa próxima oportunidade.

Em Los Angeles, come-se, bebe-se, respiram-se videojogos. De todo o mundo chegam fãs dos videojogos, aos milhares, ansiosos para conhecer as ultimas novidades. E as marcas correspondem, com apresentações que são enormes espetáculos multimédia. Faz agora um ano, a Sony Playstation foi claramente a vencedora da nova geração de consolas, mas bastou um ano, e um corte nos preços da XBox (custa agora 399 dólares, sem o kinect) para a Microsoft voltar a cair no goto dos jogadores. A Microsoft fez de resto questão em não falar de outra coisa que não fossem os videojogos. E que grandes novidades aí vêm.

Halo, The Master Chief Collection, é uma bandeira da marca, um exclusivo das consolas Microsoft. Todos os jogos vão ser agora republicados, remasterizados em alta definição. Forza Horizon também é um «must» no alinhamento da empresa de Seattle. Vêm aí Horizon 2... e o novo Motorsport também. Outro clássico: Call of Duty. Vai sair agora na versão Advanced Warfare... e sim, Kevin Spacey, faz parte do novo elenco. Hollywood e os videojogos convivem cada vez mais de perto. Na mesma linha, Tom Clancy's The Division ou, mais fantasioso, o regresso de Fable, agora na versão Legends. Mas a maior cartada será porventura o regresso de Lara Croft: The Rise of Tomb Raider, o segundo episódio depois do «reboot», anunciado como um exclusivo - pelo menos para já - para a XBox.

Do rol de novidades da Microsoft faz parte o apoio a mais jogos de produtoras independentes. É uma notícia inesperada na Microsoft, até porque essa tem sido até aqui uma estratégia da Playstation, mas do lado da Sony também há novidades, claro.

A começar pela Playstation TV - ou Vita TV, se preferirem. É uma caixinha que se pode ligar a qualquer televisão para, mesmo sem uma consola, se poderem jogar os títulos da PS1 e da PSP. Funciona associada ao serviço Playstation Now e vai custar cerca de 100 dólares nos Estados Unidos. Não há ainda preços para a Europa. A própria Playstation 4 vai ter uma nova versão, em «branco glacial». Chega à Europa no próximo outono. Lá dentro, vão estar os jogos de nova geração.

Destiny, uma aventura espacial, vai fazer parte do primeiro «bundle», o tal da consola branca. a Sony garante que é uma viragem naquilo que a partir de hoje se pode esperar de um videojogo. Mas belos destaques da E3 passam também por regressos como Mortal Kombat X, o mortal Kombat das nossas infâncias: vem aí mortal Kombat X e vão dez. E há mais FAR CRY 4: vamos para a quarta edição, desta vez passada algures nos Himalaias, entre o jogo de aventura e os First Person Shooters. E há também o inevitável Uncharted: depois de alguns problemas internos, a Naughty Dog volta com a Thief's End. É um dos jogos mais populares e aclamados de sempre, e não se espera menos deste quarto episódio.

Veja mais em NXT - o próximo passo