A indústria da aviação há muito que vem experimentando alternativas ao combustível, incluindo um aparelho a energia solar. Ora, por que não um avião a eletricidade?

A ideia está a ser desenvolvida pelo consórcio aeroespacial EADS, que quer ser pioneiro na construção de um aparelho híbrido. A realidade pode ficar um bocadinho longe, lá para 2050 é que deve estar completamente operacional. Mas, já há um projeto e tem nome. Chama-se E- Thrust e é resultado de uma parceria com a Rolls-Royce, a marca de automóveis de luxo.



Mais limpos e mais silenciosos é o que se quer dos aviões do futuro.

O E-Thrust fi construído ao abrigo do Flghpath 2050, o programa da Comissão Europeia que quer reduzir em 75% as emissões de C02 das aeronaves, juntamente com a redução de emissões de óxidos de azoto, em 90%, e dos níveis de ruído, em 65%, em comparação com o ano 2000, segundo a «Exame.com».