Momento de festa ao longo da história à qual se associou a celebração do Natal, o solstício de inverno ocorre este sábado às 17:11, com o dia a ter menos de nove horas e meia de sol em Portugal.

Dia mais curto do ano celebrado com curtas-metragens.

Na Terra, o solstício de inverno no hemisfério norte e de verão no sul acontece precisamente às 17:11, quando o sol atinge a zona mais baixa no horizonte, como explicou à Lusa Carlos Santos, do Observatório Astronómico de Lisboa.

Naquele que é o dia mais pequeno do ano, o sol nasce um pouco antes das 08:00 e põe-se às 17:19 (referência a Lisboa). Para este sábado, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê um dia sem nuvens mas tornando-se gradualmente muito nublado nas regiões do norte e centro. O vento será fraco e as temperaturas oscilam entre os 12 graus e os cinco.

Carlos Santos lembrou que o solstício é um momento, a partir do qual os dias vão de novo gradualmente a ser maiores no hemisfério norte, e que tem a ver com a inclinação do eixo da terra e não com a distância entre o planeta e o sol.

Aliás, disse, o momento em que a terra está mais próxima do sol, o chamado periélio, acontece no início de janeiro (em julho é o momento em que está mais afastada, o afélio).

O responsável explicou ainda que o solstício é fácil de observar («se olharmos para o sol todos os dias, ao meio dia veremos a descida dele no horizonte») e assinalado desde a antiguidade, havendo mesmo «monumentos megalíticos que estão orientados para o solstício».

«O Natal está relacionado com a cristianização de uma festa tradicional que tem a ver com o solstício», lembrou Carlos Santos, acrescentando que o momento simbolizava o renascimento ou o reinício, a festa do sol, o momento em que a luz vencia a escuridão e os dias iam voltar a ser maiores.

Na história não faltam referências à importância do solstício de inverno e ainda em 2012, faz hoje precisamente um ano, sacerdotes maias da Guatemala fizeram uma cerimónia para assinalar a data, considerada pelos maias como o início de uma nova era (21 de dezembro de 2012).

Em Portugal, uma tradição que ainda se mantém na zona de Bragança, dos caretos ou «festa dos rapazes», é uma «festa do solstício de inverno».

As festas pagãs que tradicionalmente se faziam para comemorar o solstício de inverno e honrar o sol terão, a partir do século IV, sido associadas ao Natal, uma festa cristã que assinala o nascimento de Jesus.

O inverno, que hoje começa, dá lugar à primavera a partir de março. Com ou sem festas pagãs ou religiosas, os dias vão, a partir deste sábado, voltar a crescer, até 21 de junho, quando se assinala a noite mais curta. Era na antiguidade o momento de celebrar as colheitas, conta a Lusa.