Embora o Verão, este ano, em Portugal, tenha sido envergonhado, no resto do mundo a estação foi das mais quentes de que há memória. O mês de agosto de 2014 foi mesmo o mais quente desde que os registos no planeta começaram a ser efetuados em 1881, enquanto a totalidade da estação está registada como a quarta mais quente.

Novos dados divulgados pela NASA revelam que Europa Central, norte de África, algumas partes da América do Sul e as regiões ocidentais da América do Norte (incluindo o Alasca) foram apenas alguns dos pontos do globo que registaram temperaturas muito mais altas do que as normais para o mês de agosto. Grande parte dos oceanos também esteve excecionalmente quente.



«Nos últimos meses temos tido um impressionante calor em grande parte do Pacífico e do Índico, em particular», afirma Jessica Blunden, uma cientista do clima no Centro Nacional de Dados Climáticos, ao site Climate Spectator.

O calor nas regiões do Pacífico e do Índico contribuiu em grande parte para colocar como o mais quente de sempre o mês de agosto deste ano, com 0,7°C acima da média de 1951-1980 para o mês, de acordo com os dados da NASA.

O que o recorde de agosto, registado pela NASA, também mostra é que o Verão de 2014 é o quarto mais quente de sempre registado no mundo, com 0,62ºC acima da média. O valor para este ano remete para um empate com o Verão de 2005, mas fica atrás de 2011, 2009 e 1998.

Gavin Schmidt, climatologista do Instituto Goddard da NASA para Estudos Espaciais, sublinha ao «The Huffington Post» que, embora os dados da agência indiquem que Agosto deste foi o mês mais quente já registado, a diferença é de poucos centésimos de grau em comparação com meses de agosto de anos anteriores.

Schmidt adverte para o perigo de se concentrarem as atenções em qualquer mês ou ano e chama a atenção que os valores registados apontam que «as tendências de longo prazo são para o aquecimento». Um agosto muito quente constitui apenas uma parte dos dados que «apontam para as tendências de longo prazo», realça.