O projeto transfronteiriço de 112 entre o Norte de Portugal, a Galiza e Castela e Leão, em funcionamento desde junho, vai investir em «drones», novas tecnologias e meios de comunicação para reforçar a prestação de socorro aos cidadãos.

O vice-presidente da Agência Galega de Emergência (AXEGA), Santiago Álvarez, afirmou hoje à Lusa que a compra de novos meios vai permitir reforçar e melhorar a prestação de socorro aos cidadãos, criando sinergias que evitem a sobreposição e duplicidade de meios em áreas de atuação conjunta.

Até ao momento, segundo o responsável, as principais dificuldades do projeto de Assistência Recíproca Inter-Regional em Matéria de Emergências (ARIEM-112) assentam nas barreiras administrativas e legislativas, técnicas e linguísticas dos dois países.

Aliás, o Conselho de Ministros espanhol aprovou esta sexta-feira o uso de «drones».

A governo previu que os «drones» podem ser usados em operações de investigação e segurança, para extinção de incêncios, socorro e filmagens. Com o senão de que não podem ser usados nos meios urbanos por enquanto, por questões de segurança.

O governo espanhol não quis perder a oportunidade de dar espaço a esse «mercado emergente», como refere o «El Confidencial».