Na madrugada de 14 para 15 de abril a Lua cheia terá outro encanto. Um eclipse total irá deixar a Lua vermelha, por mais de uma hora. Este é um acontecimento raro que só ocorre quando existe um alinhamento perfeito entre a Terra, a Lua e o Sol.

Segundo informações da NASA, o evento será visível na América, tanto do Sul como do Norte. O fenómeno poderá ainda ser acompanhado parcialmente através de observatórios no Pacífico ocidental e em partes da Europa e África. Norte da Europa, África Oriental, Médio Oriente e na Ásia Central não irão vislumbrar o eclipse.

O auge do eclipse irá acontecer quando a Lua estiver enquadrada a um ponto nas Ilhas Galápagos, no Oceano Pacífico. Dessa forma, e em concordância com o investigador Jair Barroso, quanto mais próximo desse ponto melhor será a visualização do fenómeno.

A Lua Vermelha do dia 15 de abril irá «desvendar» um outro pormenor: do seu lado direito, um pouco acima será possível ver o planeta Marte e a estrela «Espiga».

«A conjugação de astros numa região pequena de Sol formam um eclipse muito mais atraente para o público», disse o astrónomo.

Para Barroso, a melhor forma de acompanhar este evento será a olho nu. O uso de pequenos binóculos poderá também ajudar a ver a lua.

Em Portugal, o eclipse apenas será visível de forma parcial por breves instantes. A zona mais favorável para a sua observação é o extremo ocidental do território, no arquipélago dos Açores.

Aqui a lua entrará totalmente na sombra, sendo visível o eclipse parcial durante cerca de uma hora até ao início do eclipse total. Nesta altura a visibilidade será já dificultada pelo brilho crescente em todo o céu, devido ao aproximar do nascer do sol.

Segundo o «Independent», este é o eclipse 56 de Saros, que começou no ano de 1022 e irá terminar a 29 de outubro de 2338. O fenómeno do dia 15 de abril será o primeiro de quatro eclipses lunares totais consecutivos, em 2014 e 2015. O próximo acontecerá a 8 de outubro.

Acompanhe aqui: