Depois de vários anos a investigar, cientistas encontraram uma nova espécie de animal carnívoro: o olinguito. A descoberta foi revelada esta quinta-feira pela instituição norte-americana Smithsonian.

O mamífero cor de ferrugem e peludo vive nas árvores da cordilheira dos Andes e tornou-se o membro mais pequeno da família dos guaxinins. Alimenta-se de frutas como figos, mas também gosta de insetos e néctar de plantas, informa o Smithsonian, citado pelo «The Washington Post».

O olinguito é a primeira espécie de carnívoro encontrada no hemisfério ocidental em 35 anos. Encontrar um novo mamífero, especialmente um carnívoro, é raro.

Para a investigação, os animais foram observados na natureza. Ninguém percebeu que era uma nova espécie, até se efetuar uma investigação mais aprofundada e testes de ADN. «De certa forma, este animal estava escondido à vista de todos», disse o zoólogo Roland Kays, especialista do Museu de Ciências Naturais da Carolina do Norte, nos Estados Unidos.

«Pensavam que era apenas um olingo esquisito, mas aperceberam-se que estavam a juntá-lo com a espécie errada», disse o zoólogo Kristofer M. Helgen, que liderou o estudo do olinguito.

As peles em tons cor de laranja que o zoólogo viu no olinguito não se identificavam com as peles dos olingos. Depois de aprofundar a pesquisa, percebeu que o crânio e dentes também não correspondiam à mesma espécie. «Eu percebi logo que era uma nova espécie, mas também percebi que tinha de ter certezas», disse Helgen.

Helgen, com a ajuda a Kays e juntamente com o zoólogo equatoriano Miguel Pinto, partiram para a floresta andina para encontrar um olinguito no habitat natural e obter certezas da descoberta.