Comprar uma arma no Facebook demora menos tempo do que alterar as definições de privacidade no próprio perfil. É o que demonstra uma reportagem publicada, na última quarta-feira, nos Estados Unidos.

Repórteres do portal Venture Beat descobriram que, por meio de grupos fechados, um utilizador da rede social pode encontrar facilmente alguém interessado em vender uma pistola ou até espingardas e metralhadoras, sem fazer perguntas e sem exigir identificação. Algumas armas podem até ser adquiridas com o número de registo apagado.

A reportagem faz referência ao caso de um rapaz de 15 anos, abordado por polícias do Estado de Kentucky por ter levado uma pistola carregada para a escola. Às autoridades, o jovem revelou que comprou a arma através do Facebook.

Os jornalistas que fizeram a reportagem conseguiram marcar um encontro com um membro de uma dessas páginas da rede social para comprarem uma arma automática. O processo de compra não demorou mais do que 15 minutos.

As transações não ocorrem através do Facebook, que não oferece plataformas de e-commerce. Em vez disso, a negociação é feita através de mensagens pessoais e concretizada através de um encontro marcado num local isolado para que seja feito o pagamento e a entrega da arma.

Um porta-voz do Facebook afirmou aos «Los Angeles Times» que a empresa proíbe qualquer tipo de transação que envolva armas de fogo através do site da rede social. O mesmo porta-voz encoraja os utilizadores do Facebook a denunciarem atitudes ilegais ou violações dos termos de uso na rede social.