A alergia ao amendoim pode ser combatida com amendoins. Dezenas de crianças com casos graves desta alergia foram tratadas com sucesso no Reino Unido, segundo um estudo publicado no «The Lancet», uma das mais importantes publicações médicas.

No final da experiência, 84 por cento das 99 crianças que participaram no ensaio conseguiram comer até cinco amendoins sem sofrer qualquer reação alérgica. Quantidade suficiente para as proteger de uma exposição acidental, uma vez que este fruto seco está presente em vários alimentos e obriga a vigilância constante, como nos rótulos das embalagens.

Os menores, com idades entre os sete e os 16 anos, começaram por comer pequenas porções de proteína de amendoim, dose que foi aumentando gradualmente num período entre quatro e seis meses. E a maior parte conseguiu treinar o sistema imunitário a tolerar o amendoim.

Os médicos alertam, contundo, os pais de que o tratamento deve ser conduzido sob supervisão clínica e que não deve ser testado em casa.

«As famílias envolvidas neste estudo dizem que a experiência mudou radicalmente as suas vidas», contou Andrew Clark, que liderou o estudo no Hospital de Addenbrooke, em Cambridge, Inglaterra.

De acordo com o estudo, esta desordem alimentar afeta entre 0,5 e 1,4% das crianças de países desenvolvidos.

O Hospital Universitário de Cambridge está entretanto a planear abrir uma clínica específica para a alergia ao amendoim.