Investigadores portugueses colaboraram na descoberta de novas alterações genéticas associadas ao aparecimento da doença de Parkinson e da demência associada a esta doença, segundo um estudo internacional.

A investigação, que foi publicada esta semana na revista científica Lancet Neurology, descobriu pela primeira vez variações no gene LRP 10 em doentes com doença de Parkinson e Demência de Corpos de Lewy, que são doenças neurodegenerativas cujas causas são ainda desconhecidas.v

“Esta descoberta abre uma nova janela sobre os mecanismos moleculares dessas doenças neurodegenerativas comuns e pode abrir caminho para a identificação de novos biomarcadores e novas terapias modificadoras da doença", diz o líder da equipa de investigadores, Vincenzo Bonifati, do Centro Médico Erasmus de Roterdão.

A investigação contou com a participação de investigadores portugueses do serviço de neurologia do hospital de Santa Maria, da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e do Instituto de Medicina Molecular.

Segundo uma nota enviada à agência Lusa, os investigadores portugueses lembram que, embora os casos de origem genética destas doenças sejam raros, “a identificação de novos genes é de elevada importância para o melhor conhecimento das alterações cerebrais que causam a doença e para o desenvolvimento de novos medicamentos”.

O artigo publicado no final da semana passada associa defeitos no gene LRP 10 com o desenvolvimento de doença de Parkinson ou de Demência de Corpos de Lewy.