Uma investigação portuguesa está a conquistar a indústria farmacêutica.

Um aluno de mestrado descobriu que é possível reconstruir tecidos como a pele ou o osso através de compostos extraídos da casca do caranguejo pilado.

Trata-se de um caranguejo que costuma ser apanhado nas redes de pesca e que não serve para a alimentação, mas tem propriedades únicas na reconstrução de tecidos.

Esta investigação foi a tese de mestrado deste aluno da Escola de Turismo e Tecnologia do Mar de Peniche e está já a conquistar a indústria farmacêutica.

Já há empresas interessadas em construir uma fábrica em Peniche, investimento que deverá rondar um milhão de euros e criar mais de dez empregos qualificados.