Um estudo desenvolvido na China revelou que o tratamento de medicina alternativa relacionado com a inserção de agulhas em determinadas zonas da cabeça, tronco e membros pode ajudar os idosos a preservar a memória.

A equipa de investigação da Universidade Wuhan, na China, descobriu que a realização de acunpunctura três vezes por semana, durante pelo menos dois meses, pode afastar completamente a possibilidade de demência. Melhores resultados na prevenção ou no retardamento da doença podem ser alcançados, segundo os investigadores, se o tratamento for conciliado com medicação própria.

A pesquisa "Acunpuncture in Medicine", publicada pelo British Medical Journal, conta com a revisão de cinco estudos anteriores que envolviam 568 pacientes com um comprometimento cognitivo leve, isto é, uma condição na qual a memória se encontra em declínio e que, muitas vezes, leva ao diagnóstico de demência.

Os melhores resultados dos testes realizados foram alcançados pelos pacientes que faziam acunpunctura e estavam medicados, comparativamente àqueles que tomavam apenas medicação baseada em nimopidina, utilizada no tratamento e prevenção da doença. Assim sendo, a combinação da medicação e do tratamento da acunpunctura parece ser a melhor hipótese.

A acunpunctura tem benefícios significativos no funcionamento cognitivo e da memória", explicaram os cientistas, segundo o Daily Mail. Ainda assim, admitem que há ainda muita investigação a ser feita nesta área e que este estudo tem diversas limitações.