O Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS) informou estar "atento" a um eventual ataque informático, depois do ciberataque que começou na Ucrânia e assumiu larga escala, adiantando que até às 17:00 não havia qualquer incidente registado em Portugal.

Um ataque informático que teve início esta terça-feira atingiu, numa primeira fase, bancos e empresas na Ucrânia e Rússia, mas propagou-se pela Europa ocidental, tendo também afetado o laboratório farmacêutico norte-americano Merck.

Em comunicado, o CNCS adiantou que por volta das 15:00 "tomou conhecimento, através de fontes abertas, de que estaria a ocorrer um ataque informático na Ucrânia e de larga escala", salientando que na rede europeia de CSIRT - Computer Security Incident Response Team [grupo técnico responsável por resolver incidentes relacionados com segurança nos sistemas de informação] "não foi ainda distribuída informação fiável sobre o que está a ocorrer".

O CNCS alertou, de imediato, a rede nacional de CSIRT, informando-a de que estaria a ocorrer um problema na Ucrânia e que se deveriam preparar e manter vigilância reforçada para a eventualidade do ataque atingir as redes nacionais", garante a estrutura, a qual garantiu não conhecer, "até às 17:00 qualquer tipo de impactos".

O Centro Nacional de Cibersegurança "vai manter-se atento a este problema e continuará a divulgar a informação que considere relevante", conclui o comunicado.