Vinte e seis organizações da sociedade civil apresentaram hoje uma declaração comum exortando os governos a promover as tecnologias de encriptação (codificação) e a anonimidade para proteger o direito à privacidade na era digital.

Amnistia Internacional, Federação Internacional dos Direitos Humanos (FIDH), Repórteres Sem Fronteiras, Comissão para a Proteção dos Jornalistas e Privacy International estão entre as organizações subscritoras da declaração “Promover a Forte Encriptação e a Anonimidade na Era Digital”, divulgada pela Human Rights Watch no endereço http://www.hrw.org/node/135833.

A declaração foi entregue hoje no Conselho de Direitos Humanos, em Genebra, após a apresentação de um relatório da ONU que reconhece a encriptação e a anonimidade como “instrumentos principais da segurança ‘online’ e do direito à privacidade, à liberdade de opinião e à liberdade de expressão” e insta os países a garantirem que os cidadãos têm liberdade para proteger a sua privacidade nas comunicações digitais.