As culturas de manga, quivi ou de café não dependem das abelhas, mas do voo das borboletas, besouros, vespas e das formigas para a polinização, determina o estudo da Academia Americana de Ciências.

 

“Os cientistas ainda não exploraram suficientemente o papel de outros insetos que não o das abelhas na polinização”, disse Margie Mayfield, da Universidade de Queensland, na Austrália, uma das coautoras do estudo.

Esta dependência da polinização das culturas apenas pelas abelhas é uma estratégia arriscada, afirmou a pesquisadora, referindo-se ao misterioso fenómeno de desaparecimento em massa das abelhas.

“Outros insetos que polinizam as colheitas são, portanto, um seguro contra o declínio das populações de abelhas observado em todo o mundo”, considerou, aconselhando mudanças nas práticas agrícolas, incluindo o fim do uso de certos pesticidas.

O estudo concluiu que os outros insetos polinizadores fazem entre 25 e 50% do número total de visitas às flores.

A polinização por abelhas representa mais de 15 mil milhões de dólares anuais nas culturas agrícolas nos Estados Unidos, incluindo frutas e vegetais.

Segundo uma estimativa recente do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, 42% das colmeias desapareceram entre 2014-2015.