O último vídeo que viu no YouTube ou os hóteis no Algarve que andou a pesquisar no Google são algumas das informações que a empresa multinacional fundada por Larry Page e Sergey Brin têm sobre si. 

Com a mais recente ferramenta My Activity, um serviço que regista, cronologicamente, o percurso de um utilizador nos serviços da Google - Chrome, Android, Gmail ou Maps -, de acordo com o El País, é praticamente impossível que as informações dos utilizadores passem despercebidas à empresa.

O serviço My Activity deverá ser ativado pelo utilizador e, ao ativar, estará a autorizar que a Google tenha acesso a todas as informações dos restantes serviços. Ou seja, a empresa grava todos os passos do utilizador, para depois fornecer o percurso, por intermédio da ferramenta, aos agentes publicitários.

E é por isso mesmo que a Google quer a informação dos utilizadores: com mais informação e mais detalhada, é mais fácil vender espaço publicitário com precisão a determinado cliente que queira publicitar para um público-alvo. Por exemplo, se ultimamente andou a pesquisar destinos de férias, é normal que comece a ter mais publicidade sobre viagens ou hóteis nas páginas a que acede. 

No entanto, a Google permite que o utilizador controle a informação disponibilizada no My Activity, ou seja, os conteúdos incómodos ou comprometedores podem ser eliminados. Do mesmo modo, o utilizador pode definir o conteúdo que pode ou não ser armazenado nos servidores e pode, inclusive, eliminar todo o resgisto do último ano, se assim o desejar.