O avião Impulse II, movido exclusivamente a energia solar, que permaneceu em Sevilha, Espanha, duas semanas, numa escala na volta ao mundo que realiza, partiu esta segunda-feira de madrugada com destino ao Cairo, capital do Egito.

Após uma intensa noite de preparativos no hangar onde o aparelho ficou, o piloto André Borschberg comunicou com a torre de controlo depois das 06:00 (menos uma hora em Lisboa), e lhe confirmaram que podia descolar para seguir a sua viagem.

Minutos antes, o piloto apareceu diante dos jornalistas, junto ao avião, para explicar que espera continuar “sem dececionar o mundo”.

“Não podemos desiludir toda a gente que nos vê e nos segue”, disse, em referência tanto ao acompanhamento internacional na imprensa como aos milhares de pessoas que o fazem nomeadamente através das redes sociais.

Mais de mil pessoas estiveram, esta madrugada, ligadas à aplicação Periscope para seguir ao vivo tanto as manobras prévias como o momento da descolagem e muitas delas poderão interagir com o piloto durante o voo ao longo das muitas etapas da viagem.

Diariamente, graças a dez câmaras montadas no 'cockpit', as asas, o centro de controlo da missão e em terra, os milhares de aficionados da iniciativa inovadora podem ver, a toda hora, a evolução, monitorizada em tempo real por uma equipa de engenheiros sediada no Mónaco.

André Borschberg destacou a força mental que tem que ter para poder seguir em frente com este projeto, afirmando que, às vezes, mesmo quando se encontra em terra, pensa que continua a voar. "Há que ter muita concentração porque as pessoas esperam o melhor de mim", disse.

O avião solar partiu de Sevilha, quando ainda não tinha amanhecido, rumo ao Cairo, onde deverá aterrar dentro de entre 48 e 72 horas.

O projeto Solar Impulse II pretende consciencializar os governos mundiais para a aplicação de soluções tecnológicas que permitam preservar o meio ambiente.