A empresa tecnológica EXVA, uma «spin-off» da Universidade do Minho, instalada no Avepark de Guimarães, lança terça-feira, o «HVR - Hybrid Video Recorder», um sistema inovador de análise de vídeo e processamento de imagem, aplicado à videovigilância, avança a agência Lusa.

O sistema tem, segundo a empresa, aplicação imediata em hospitais, tribunais, rodovias, empresas, bancos e outras estruturas com necessidades especiais de segurança.

A apresentação ocorre no auditório do Avepark - Parque de Ciência e Tecnologia, perante especialistas e empresas de vários ramos de actividade.

O gestor da empresa, Frederico Ferreira, adiantou esta sexta-feira à Lusa, que esta tecnologia de quarta geração inteiramente portuguesa - assente num sistema híbrido que inclui uma área da demótica - permite a conexão de câmaras vídeo analógicas e digitais, num mesmo equipamento, com aproveitamento de uma infra-estrutura analógica já existente e diferentes possibilidades, até 16 câmaras».

«A tecnologia Pentaplex - sublinhou Francisco Ferreira - permite visualização local e remota, gravações e consultas em tempo real, por computador ou PDA em qualquer ponto com acesso à Internet, bem como operações de cópia de segurança (cópias de segurança) em simultâneo».

O HVR - acrescentou o responsável - «faculta a transmissão de vídeo a longas distâncias sem degradação de sinal nem utilização de equipamentos adicionais, permitindo ainda o uso de câmaras wireless (sem fios) e maior segurança e confidencialidade com imagens protegidas por palavra-chave».

Esta tecnologia apresenta como vantagens, segundo frisou, «a possibilidade de utilização de equipamentos já existentes e a adequação de soluções à medida».

«Permite também uma elevada longevidade dos discos do servidor utilizados no processo de gravação contínua garantindo maior fiabilidade para um total de 1,2 milhões de horas», acrescentou.

Por ser desenvolvido de modo a permitir a captura de imagens a várias resoluções, o HVR - Hybrid Video Recorder torna mais eficiente e viável a identificação de indivíduos suspeitos ou matrículas de automóveis, por exemplo.

«Numa época em que as questões de segurança de pessoas, bens e equipamentos assumem uma capital relevância, a EXVA prepara-se para lançar um produto que permite corresponder às expectativas do mercado com uma solução tecnologicamente fiável e economicamente competitiva», frisou o empresário.