Numa nota, o OES, organização da qual Portugal faz parte, explica que "a radiação intensa e os ventos estelares emitidos pelas estrelas brilhantes do aglomerado [estelar] associado esculpiram os Pilares da Criação ao longo do tempo e deverão fazer com que estes desapareçam completamente dentro de três milhões de anos".