O Homem moderno chegou à China há mais de 80.000 anos, muito antes de chegar à Europa, segundo um estudo que permite também determinar quando dos humanos começaram a deixar África e a escolher caminhos migratórios.

O estudo publicado hoje na revista britânica Nature foi feito com base em 47 dentes, que permitiram aos investigadores estabelecer que os humanos modernos (Homo Sapiens) já estavam presentes no sul da China há pelo menos 80.000 anos e talvez até há 120.000 anos.
 

“Foi bem mais cedo do que se pensava até agora”, afirmou Wu Liu, da Academia de Ciências de Pequim e principal autor do estudo, acrescentando que chegaram à China duas vezes mais cedo do que à Europa.


Segundo o estudo, o homem moderno viveu no sul da China entre 30.000 e 70.000 anos antes de colonizar a Europa.

Os primeiros fósseis encontrados na Europa datam de há 45 mil anos.

A descoberta revela também que o Homo Sapiens apareceu no leste de África há 190 mil anos e que saiu daquele continente “muito mais cedo do que se pensava”, refere Maria Martinon-Torres, do University College of London e coautora do estudo.

Com esta descoberta, pode deduzir-se ser provável que o Homo Sapiens saiu de África há 70.000 anos.