A polícia holandesa está a treinar águias para intercetar 'drones' ou aviões não tripulados que possam gerar incidentes de segurança ou serem usados por criminosos e terroristas.

Esta iniciatiaca está a ser desenvolvida em colaboração com a agência antiterrorista e os Ministérios da Justiça e Defesa do país.

A polícia referiu num comunicado que no futuro esses aparelhos serão utilizados cada vez mais, aumentando também o número de incidentes.

               
 

"É uma solução de baixa-tecnologia para um problema de alta-tecnologia", afirmou Dennis Janus, porta-voz da polícia holandesa.


Segundo a agência Reuters, esta ainda não é uma solução definitiva, e os testes vão continuar durante mais alguns meses, de forma a assegurar que esta pode, de facto, se viável - seja em termos de eficácia, bem como garantindo que o animal não sofre ferimentos ao agarrar os objetos.

A polícia está determinada em encontrar uma solução para o crescimento exponencial da utilização de drones em locais não autorizados, como aparições públicas de políticos, ou em aeroportos. Outras ideias passavam pela utilização de redes ou hackers que consigam aceder aos comandos do drone remotamente.

No entanto, a polícia parece satisfeita com o desempenho das aves de rapina.

"As pessoas às vezes pensam que é uma brincadeira, mas está a revelar-se bastante eficaz", acrescentou Janus.