Uma nova espécie dos mamíferos carnívoros extintos chamados hienodontes foi descoberta por investigadores norte-americanos através da análise de fósseis egípcios.

No trabalho publicado na revista PLOS One, os cientistas norte-americanos Matthew Borths, da Universidade de Ohio, e Erik Seiffert, da Universidade da Califórnia, mostram a análise a fósseis egípcios com 34 milhões de anos para revelar a existência de uma nova espécie de hienodonte. Chamaram-lhe "Masrasector nananubis", em homenagem a Anúbis, o deus egípcio associado à vida depois da morte.

Os hienodontes existiram em quase todos os continentes e foram antepassados dos atuais carnívoros. Viveram na Europa, África, Ásia e América do Norte. Os espécimens afro-árabes são os registos mais antigos e são por isso importantes para a compreensão da evolução da espécie.

A espécie agora divulgada tem uma anatomia craniana singular e os fósseis são os mais completos restos conhecidos do tipo de carnívoro do período Paleogeno, que vai dos 65 milhões e 500 mil anos aos 23 milhões e 30 mil anos atrás.

Os hienodontes foram os principais predadores em África após a extinção dos dinossauros, disse Matthew Borths, explicando que a pesquisa pode dar outras informações sobre a espécie e mesmo sobre a morte destes parentes afastados dos cães, gatos e hienas.

Baseados na morfologia dos ossos os investigadores concluíram que o animal era muito próximo de uma espécie “hiper-carnívora”. Era terrestre, havendo outras espécies de hienodontes que andavam nas árvores, e movia-se rapidamente.