A empresa de computadores Hewlett-Packard, mais conhecida por HP, poderá ser dividida em duas. O The Wall Street Journal anunciou, este domingo, que a HP tem planos para dividir-se em duas: uma direcionada aos consumidores, outra às empresas.

O jornal diz que a ideia da HP é colocar as operações de computadores e impressoras numa empresa e o software e serviços noutra. Não se sabe quais são as fontes do jornal americano, mas sabe-se que o anúncio poderá vir a ser feito esta segunda-feira e que a separação terá lugar já no próximo ano.

O plano já tinha sido proposto em 2011, quando o CEO era Léo Apotheker. Entretanto Apotheker foi despedido e Meg Whitman assumiu o cargo nesse ano e propôs um plano de reestruturação a realizar-se em cinco anos. Whitman será líder nas duas empresas, sendo a CEO da que detiver os negócios e presidente da empresa de hardware.

A atual diretora da HP, Patricia Russo, será a presidente da empresa HP, e Dion Weisler vai passar de executivo do grupo computadores / impressora para se tornar no CEO da nova empresa.

Muitos investidores concordaram com a decisão. «A divisão permitirá a HP a ser mais ‘ágil’ e a ‘remodelar’ o seu negócio», disse Brendan Connaughton, diretor de investimentos da ClearPath Capital Partners.

A mudança vai resultar numa reformulação monumental de um dos mais importantes pioneiros da tecnologia, que tem mais de 300 mil funcionários. A HP foi fundada em 1939, por Bill Hewlett e Dave Packard numa garagem de Palo Alto, na Califórnia, e foi uma das empresas que formou o Silicon Valley e a revolução dos computadores.

No entanto, a HP não é a primeira a tomar uma decisão destas. Na semana passada, o eBay anunciou a sua separação do PayPal, que tinha comprado em 2002.