atentados em Paris

 

“Anonymous de todo o mundo vão perseguir-vos”, disse um porta-voz do grupo de “hacktivistas”, no vídeo em francês, divulgado através do Youtube, anunciando que a luta contra o EI, que começou depois dos ataques a Charlie Hebdo, vai continuar.

De acordo com o comunicado, o EI, que tem lançado uma forte campanha online para promover a jihad, vai ser perseguido e vai pagar pelos ataques, em França.

 

“Devem saber que vamos encontrar-vos e não vamos deixar-vos escapar. Vamos lançar a maior operação de sempre. A guerra está declarada. Estejam preparados. Os franceses são mais fortes que vocês e vão sair desta atrocidade ainda mais fortes”.

Uma mensagem semelhante foi deixada na conta do Twitter do grupo de hackers.

 

“Não se enganem: #Anonymous está em guerra com o #Daesh. Não pararemos de nos opor ao #IslamicState. Somos também melhores hackers. #OpISIS”.

Segundo o The Independent, depois dos atentados de janeiro, os Anonymous conseguiram derrubar vários sites do EI, assim como vídeos de propaganda e contas do Twitter. Divulgaram também uma lista com quase 10.000 nomes de pessoas com ligações ao grupo extremista.