Um em cada 20 adolescentes hackeou um computador no ano passado. É uma percentagem mais elevada do que a de jovens de 14 anos que fumam ou têm relações sexuais. 

Estes dados são de um estudo realizado pelo University College London.

Dentro das atividades ilícitas que os jovens mais praticam estão os crimes relacionados com a internet (5%). Quase um por cento dos jovens de 14 anos já enviaram, pelo menos, um vírus.

Dois por cento dos jovens de 14 anos de ambos os sexos já tiveram relações sexuais e três por cento fumam regularmente.

Comparando com outras atividades ilegais mais antigas, como o grafiti, o cibercrime continua a ganhar preferência entre os adolescentes.

Quase dois terços dos hackers começaram a piratear antes de completar 16 anos, segundo o mesmo relatório.

Com este estudo, verificou-se ainda que os adolescentes, atualmente, bebem menos álcool e consomem menos tabaco e drogas.

Este inquérito foi realizado em 2015 e 2016 a mais de 19.500 crianças, em Inglaterra.