A conta de email pessoal do diretor da CIA, os serviços secretos americanos, terá sido alvo de pirataria informática.
O FBI confirmou à CNN que está em curso uma investigação para descobrir o que aconteceu ao email de John Brennan no domínio AOL.

Embora se tratasse de uma conta pessoal, naquele email o chefe da CIA guardava ficheiros importantes, segundo disse o hacker ao New York Post, fazendo saber que tinha guardado alguns dos ficheiros contidos em emails que leu.
 
Uma fonte disse à CNN que, aparentemente, o hacker não teve acesso a informação confidencial e de Estado. No entanto, o pirata informático disse ao jornal nova-iorquino que tinha guardados 40 ficheiros retirados da conta pessoal do chefe da CIA, após violar a sua correspondência eletrónica, no dia 12 de outubro.

O hacker, alegadamente um adolescente, estudante do ensino secundário, não se identificou, mas tomou a iniciativa de contactar o New York Post para dar esta informação.

Denominando-se como “Crackas With Attitude”, a brincadeira de adolescentes pode não ser muito divertida. A verdade é que a conta de Twitter de CWA segue o grupo fundamentalista islâmico  Shahada e começou a colocar post em defesa da Palestina e contra Israel.
 
Embora o FBI se recuse a prestar declarações sobre o caso, o Post sabe que a investigação está a ser tratada com atenção, para que sirva de exemplo a futuros casos de pirataria informática.
 
As contas de email pessoais tornam-se alvos fáceis. Este não é o primeiro caso envolvendo figuras importantes. O escândalo dos emails da conta pessoal de Hillary Clinton, enquanto secretária de Estado norte-americana, derramaram muita tinta nos media.