Cientistas de Hong Kong e dos Estados Unidos desenvolveram uma vacina experimental contra o vírus H5N1 da gripe das aves com base na vacina da varíola, revela esta segunda-feira a imprensa de Hong Kong, citada pela Lusa.

Os testes iniciais à nova vacina em pequenos ratos provaram a alta eficácia da vacina.

«A vacina produz anticorpos de H5N1 e a velocidade da resposta imunitária foi muito mais rápida que a Sanofi», explicou Malik Peiris, microbiologista e perito em gripe das aves da Universidade de Hong Kong referindo-se à Sanofi-Aventiss, vacina contra a gripe das aves aprovada para utilização em humanos nos Estados Unidos.

A vacina agora produzida utiliza uma variante do vírus H5N1 detectada no Vietname e parece ser amplamente protectora e os ratos inoculados com a vacina resistiram com sucesso a uma variante indonésia de H5N1.

Desde 2003 que o vírus da gripe das aves já infectou 408 pessoas em 15 países tendo provocado a morte a pelo menos 254 pessoas.

Milhões de aves em todo o mundo foram abatidas devido ao vírus já detectado em 61 países da Ásia, Médio Oriente, Europa e África.

A varíola foi erradicada do mundo em 1979 e os especialistas esperam que a nova vacina contra o H5N1 possa utilizar as suas vantagens para combater o novo vírus.

Com um custo de produção muito baixo e sem necessidade de laboratórios sofisticados e um prazo de validade elevado, a vacina contra da varíola pode ser desenvolvida em países com menos recursos.

No entanto, irá ainda demorar alguns anos até que a vacina contra o H5N1 esteja disponível no mercado já que os ensaios clínicos devem continuar noutros animais antes de serem alargados a humanos.