Seis dos gigantes tecnológicos norte-americanos revelaram na segunda-feira o aumento do número de pedidos de dados dos seus utilizadores por parte do Governo através da Agência de Segurança Nacional (NSA) e outros departamentos de investigação.

Google, Microsoft, Apple, Yahoo, Facebook e LinkedIn referiram que a informação pedida vai desde conteúdos dos seus portais a dados mais precisos como o nome, idade e o local de residência dos seus assinantes.

O Governo permitiu às companhias tecnológicas em finais de janeiro a prestação de mais informações aos seus clientes sobre o ritmo a que estão obrigadas a proporcionar informação à NSA e a outras agências.

O acordo foi alcançado em resposta a um pedido feito por várias empresas perante o Tribunal de Vigilância de Informações Estrangeiras.

As companhias pediam que lhes fosse permitido revelar aos seus clientes quantos pedidos acompanhados de ordem judicial recebem das agências de informações para proteger a sua imagem depois das revelações do ex-analista Edward Snowden sobre os programas de espionagem na Internet.

A Google recebeu pedidos relacionados com o conteúdo de entre 9.000 a 9.999 contas na primeira metade de 2013, um notável aumento face aos primeiros seis meses de 2011 quando lhe foram solicitados dados referentes a 7.000 a 7.999 contas.

A Microsoft recebeu pedidos para 15.000 a 15.999 contas no mesmo período, um aumento também significativo face aos 11.000 e 11.999 do primeiro semestre de 2011.

Já a Yahoo foi a que mais pedidos recebeu - 30.000 a 30.999.