O motor de busca Google recebeu em três dias mais de 41 mil pedidos de cidadãos europeus para que os seus dados sejam retirados das pesquisas, disse à agência Lusa uma responsável pela comunicação da empresa em Portugal.

O Tribunal de Justiça da União Europeia reconheceu em maio o direito dos cidadãos a serem «esquecidos» na Internet.

A decisão possibilita que os europeus peçam à Google e a outros motores de busca para que ligações online para determinadas informações pessoais sejam retiradas das pesquisas.

A medida produziu efeitos a partir de 30 de maio e, nesse mesmo dia, a empresa recebeu 12 mil pedidos de esquecimento na Internet.

Três dias depois, a 02 de junho, o total de pedidos «estava na casa dos 41 mil», disse à Lusa a mesma fonte, explicando que a empresa só divulga números globais e não especifica os países de origem dos pedidos.

Com o objetivo de cumprir a decisão do tribunal, a Google criou um formulário online através do qual os cidadãos europeus podem pedir a eliminação de resultados neste motor de pesquisa.

«A decisão obriga a Google a fazer uma avaliação difícil entre aquilo que é o direito ao esquecimento e o direito público ao acesso à informação, pelo que a empresa está a criar um comité de assessores especialistas com o objetivo de trazer uma visão mais profunda sobre este assunto», acrescentou a mesma fonte.

A empresa garante que cada pedido será analisado individualmente mas não se comprometeu com prazos para retirar as ligações, considerando que isso dependerá de cada pedido.

A decisão sobre o direito a ser «esquecido» só se aplica aos cidadãos da União Europeia e surge numa altura em que cresce na Europa a preocupação com segurança dos dados pessoais na Internet.