O referendo que decidiu a saída do Reino Unido da UE continua a estar na ordem do dia. Desta vez não se tratam de questões políticas ou económicas, mas de pesquisas feitas no maior motor de busca online do mundo. A combinação das palavras “Britain” e “exit” foi pesquisada mais vezes do que a famosa palavra “porno”, utilizada para a pesquisa de sites com vídeos de teor sexual.

O gráfico seguinte compara a pesquisa das palavras “Brexit” (em azul), “Porno” (em vermelho), “Euro2016” (em amarelo) e “U.K. referendum” (em verde).

Fonte: Google

 

A palavra criada para descrever a cisão entre o Reino Unido e a União Europeia foi, também, mais procurada do que a palavra “Euro2016”. Há também registo de um menor número de pesquisas do campeonato de futebol do continente americano, Copa América. Estes dados demonstram que a preocupação com a consequências provenientes do referendo britânico extravasam as fronteiras da própria Grã-Bertanha e até mesmo da Europa.

Depois de uma queda a pique dos mercados financeiros europeus, registou-se uma subida na procura de resultados e notícias associadas ao Brexit. A libra britânica apresentou o valor mais baixo dos últimos 30 anos e os mercados financeiros foram apanhados de surpresa com estes resultados, visto que a maioria das sondagens apontavam para um empate técnico e mesmo para a vitória da manutenção do Reino Unido na UE.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, que defendia a manutenção do seu país na UE, resignou ao cargo e Jeremy Corbyn, o líder do Partido Trabalhista, perdeu o voto de confiança dos seus militantes, esta terça-feira.