Chama-se Gliese 832c e os cientistas afirmam que, entre os planetas descobertos, este é um dos mais parecidos com a Terra relativamente às condições que permitem a vida no nosso planeta, de acordo com o «The Independent».

Foi descoberto por astrónomos da Universidade de Nova Gales do Sul, Reino Unido, e localiza-se a 16 anos-luz da Terra, ou seja, qualquer coisa como 151 triliões de quilómetros. Uma distância que, em termos astronómicos, é relativamente pequena e que, por isso, está a suscitar o entusiasmo dos astrónomos.

O Gliese 832c é considerado uma super-Terra porque apresenta uma massa cerca de cinco vezes superior à massa do nosso planeta.

O planeta demora 36 dias a girar à volta de uma estrela vermelha. Apesar de estar muito mais próximo da sua estrela do que a Terra do Sol, como o astro vermelho tem praticamente metade da massa do Sol, a energia que o planeta recebe é idêntica à do nosso planeta.

«Se o planeta tiver uma atmosfera semelhante à Terra é bem possível que possa ser habitado, apesar da possibilidade de temperaturas extremas em alguns períodos sazonais», referiu Chris Tinney da Universidade de Nova Gales do Sul.

Pensa-se que a atmosfera do planeta seja mais fina do que a da Terra devido às grandes dimensões do planeta e que, por isso, as temperaturas à superfície sejam mais elevadas.

O Gliese 832c já está no ranking do Index de Similaridade com a Terra (ESI) com um valor de 0,81 que traduz o elevado grau de semelhança - o valor um seria o de um planeta gémeo da Terra.