Geddel Vieira Lima, ex-deputado federal e vice-presidência da Caixa Econômica Federal, apelou à presidente do Brasil, Dilma Rousseff, através do twitter, para o exonerar do seu cargo. O pedido tinha sido feito em setembro passado, mas até agora não havia decisão oficial da exoneração. Geddel fez o apelo ontem, quinta-feira e hoje, sexta-feira, Dilma assinou o decreto da demissão, escreve o jornal «Globo».

«Cara Presidenta Dilma, por gentileza, determine publicação de minha exoneração da função que ocupo, e cujo pedido já se encontra nas mãos de Vossa Excelência», escreveu na sua conta de twitter. E a provar a agilidade das redes sociais, 24 horas depois, o pedido de demissão foi aceite e assinado pela presidente brasileira.

Antes, Geddel Vieira Lima pré-candidato pelo PMBD ao governo da Bahia, já tinha divulgado outras mensagens no twitter relacionadas com o assunto. Horas antes da mensagem a Dilma tinha escrito: «Acabo de fazer novo e dramático apelo agora ao Presidente da Câmara para que agilize a publicação da minha exoneração. O que está havendo?». Minutos antes tinha sido a vez do senador Roberto Requião, com direito a mensagem direta: «Cobra para mim essa exoneração. Estou esperando desde Setembro. Quero sair, não entrar».

Geddel Vieira Lima ligado há vários anos ao PMDB, foi eleito deputado federal cinco vezes consecutivas. Entre 2007 e 2010, foi ministro da Integração Nacional, de um executivo liderado por Lula da Silva.