A autoridade aeronáutica norte-americana, a FAA (Federal Aviation Administration) emitiu um comunicado advertindo os passageiros para não ligarem ou tentarem carregar os seus novíssimos telemóveis Galaxy Note 7, lançados há cerca de um mês, a bordo dos aviões.

É sublinhado que nenhum problema aconteceu até agoraa bordo de aviões, mas o perigo de explosão das baterias de lítio que equipam os telemóveis surge como um potencial perigo. Daí também não ser aconselhável metê-los em bagagem despachada para o porão.

Face ao aviso da FAA, caberá a cada companhia aérea tomar por si, eventualmente, decisões mais radicais sobre a questão.

Fora dos Estados Unidos, as australianas Qantas e Virgin Australia já alertaram os seus passageiros para não usarem ou carregarem as baterias dos seus Galaxy Note 7, um modelo que a própria Samsung está a recolher em todo o mundo depois de ter vendido mais de 2,5 milhões de aparelhos em todo o mundo.

No início de setembro, a tecnológica sul-coreana admitiu ter conhecimento de 35 casos de defeitos graves com as baterias do Galaxy Note 7. Iniciou uma investigação, suspendeu as vendas e lançou uma campanha de recolhatrocas à escala global.