Quem seguir o Papa na rede social twitter pode ser «perdoado dos seus pecados. Quem o diz é o próprio Vaticano. Em comum com a confissão tradicional em que o perdão vem a seguir à confissão, só mesmo o facto do rosto do pecador também não ser revelado.

Esta igreja dos tempos modernos quer ser moderna e conquistar cada vez mais jovens. O recurso à rede social é um piscar de olhos aos jovens, a uma semana das Jornadas Mundiais da Juventude, que decorrem no Rio de Janeiro, Brasil. Assim, o perdão é concedido a quem seguir os eventos do Papa em direto no Twitter.

No entanto, «não se pode obter indulgências como quem vai beber um café», avisa o arcebispo Claudio Maria Celli, chefe do concelho pontífice para a comunicação social, em declarações ao jornal italiano «Corriere della Sera», que a Lusa cita.

A conta do Papa no twitter tem sete milhões de seguidores.