Um novo estudo identificou quatro novos genes que são responsáveis pelo forma do nariz. A investigação foi realizada pela Universidade de Londres (University College of London) e publicada na revista científica Nature Communications. Esta descoberta poderá permitir, no futuro, desenhar o nariz dos futuros bebés.

Os cientistas concluíram que há quatro genes associados ao aumento do osso e da cartilagem no nariz. Em causa estão os genes GLI3, DCHS2, PAX1 e RUNX2.

Descobrir a função de cada gene é importante para nos ajudar a juntar as peças da evolução, desde os Neandertais até aos seres humanos modernos”, afirma um dos principais autores do estudo, Kaustubh Adhikari em comunicado.

Há ainda um outro gene, designado EDAR, que está associado a uma saliência na zona do queixo.

Os cientistas analisaram o ADN de mais de seis mil voluntários da América Latina, oriundos da Colômbia, do Perú, do Brasil, do Chile e do México - 50% tinham origem europeia, 45% eram americanos e 5% tinham origem africana.

O estudo partiu de 14 formas do rosto diferentes. Para uma análise mais precisa, os cientistas recriaram em 3D as formas faciais de cerca de 3.000 participantes.

Há muito que a forma do nariz está associada ao ambiente em que uma determinada população vive, nomeadamente às condições de humidade e temperatura.

Por exemplo, acredita-se que pessoas que vivem em ambientes frios e secos tendem a ter um nariz mais estreito, que as ajuda a regular a temperatura e a humidade do ar que respiram. 

Agora, com os novos dados, os cientistas poderão aprofundar esta matéria.

Mais, esta investigação é importante ao nível forense, como destacou Kaustubh Adhikari.

“O estudo dá-nos conhecimentos sobre como os genes influenciam as formas do rosto, o que é importante para aplicações forenses.”

A identificação destes genes abre portas à sua modificação. Na prática, poderá ser possível desenhar o nariz dos futuros bebés.