Uma equipa de cientistas britânicos descobriu, por baixo do gelo da Gronelândia, uma fissura com pelo menos 750 quilómetros de extensão. Em algumas zonas, esta formação natural chega a ter 800 metros de profundidade.

Os cientistas, com o geólogo Jonathan Bamber da Faculdade de Ciências Geográficas da Universidade de Bristol a liderar a equipa de investigação, descobriram este desfiladeiro natural e acreditam que se assemelha em algumas áreas ao famoso Grand Canyon do Colorado, nos Estados Unidos, escreve o jornal «El Mundo».

De acordo com os cálculos, estende-se desde o centro da ilha até ao extremo norte, onde há uma entrada que faz a ligação com o Oceano Ártico.

A descoberta, anunciada esta semana na revista «Science», foi possível graças à utilização de um radar capaz de recolher dados debaixo de gelo. Os investigadores acreditam que a estrutura foi formada antes da existência do bloco de gelo que é hoje a Gronelândia.

«A camada de gelo formou-se há cerca de, pelo menos, quatro milhões de anos», explica Bamber, o autor principal do estudo.