Com câmaras cada vez mais pequenas, sem grandes equipas ou mesmo sozinhos, eles estão em toda a parte. Os bloggers e youtubers disputam a informação com os jornalistas tradicionais.  Na Gamescom, a maior feira europeia de videojogos, em Colónia (Alemanha), o NXT comprovou que este é um fenómeno que veio para ficar.

São pessoas, muitas com «background» jornalístico, que decidem de uma forma livre, como «freelancers» ganhar a vida a escrever e a estar nestas feiras. Muitas vezes pagam do próprio bolso para não perderem pitada dos maiores eventos.

O mercado português ainda é pequeno e, por isso, há quem o faça em inglês. A pressão do número de visualizações é enorme.

«Qualquer coisa abaixo de, sei lá, cem mil visualizações por mês, nem vale a pena tentar», diz Rui Modesto, ou Rurikhan, como é conhecido no Youtube.
 
Apesar de ser um fenómeno em crescimento, a verdade é que já há youtubers exclusivamente portugueses a ganharem à roda disto disto também.