O «Telegram», aplicação multiplataforma, ganhou uma outra dimensão no fim de semana, depois da falha registada nos servidores do «WhatsApp», no sábado. Concretamente, cinco milhões de novos utilizadores.

O problema técnico do «WhatsApp», resolvido no mesmo dia, veio apenas agudizar o descontentamento dos utilizadores, que começou com o anúncio de compra do Facebook.

Apesar de a empresa de Mark Zuckerberg garantir que não irá incluir publicidade no serviço, os utilizadores ainda estão desconfiados da nova estratégia.

À primeira vista, «Telegram» e «WhatsApp» são idênticos, contudo, o primeiro apresenta funcionalidades diferentes, que têm agradado aos utilizadores.

Um novo programa do «Telegram», recentemente desenvolvido em Berlim, orgulha-se da sua segurança reforçada. Utiliza uma criptografia «end-to-end» que não permite o acesso às mensagens, a não ser ao remetente e ao destinatário.

A confiança da empresa está, neste momento, tão elevada, que oferece, cerca de 145 mil euros, em Bitcoins, a hackers que consigam invadir o sistema até 1 de março.