O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, vai testemunhar no Congresso norte-americano, numa reação ao escândalo que envolve as políticas de privacidade da rede social, segundo avança a agência Reuters.

A notícia surge no mesmo dia em que Zuckerberg disse que não vai responder pessoalmente às questões do parlamento britânico, que lhe pediu esclarecimentos por causa do caso, que também envolve a consultora Cambridge Analytica.

A rede social mais famosa do planeta está a passar por dias difíceis. Autoridades de vários países garantem que vai haver consequências, depis de ter sido noticiada a utilização indevida de dados dos utilizadores que fluem no Facebook

Os Estados Unidos da América (EUA) anunciaram na segunda-feira que vão abrir uma investigação às práticas de privacidade da empresa, depois de os dados de cerca de 50 milhões de utilizadores terem indo parar às mãos da consultora Cambridge Analytica para atingir os eleitores norte-americanos e britânicos nas eleições.

Ao mesmo tempo, desde lado do Atlântico, a Alemanha também anunciou estar a investigar a empresa.