« A nossa experiência induziu a sensação de uma presença estranha em laboratório pela primeira vez. Isso mostra que ela pode surgir em condições normais, simplesmente através de sinais sensório-motores em conflitantes», conta Blanke, investigador do projeto.
 









«Para alguns a experiência foi tão forte que eles pediram para parar», disse Giulio Rognini, um dos neurocientistas envolvidos na experiência.

«O sistema robótico simula as sensações de alguns pacientes com transtornos mentais ou de indivíduos saudáveis sob circunstâncias extremas. Isso vem confirmar que é causada por uma perceção alterada de seus próprios corpos no cérebro», acrescentou Blanke.


«De repente houve um terceiro alpinista connosco, um pouco à minha direita e alguns passos atrás de mim, apenas fora do meu campo de visão», contou.