Apesar da massificação das novas tecnologias e das redes sociais, os jovens continuam a preferir ver televisão e a ouvir música. De acordo com um novo estudo sobre adolescentes e media, os jovens norte-americanos com idades entre os 8 e os 12 anos passam seis horas em frente aos ecrãs, por dia, e sentem-se confortáveis em fazê-lo enquanto estudam. Dos 13 aos 18 anos, o número de horas em frente aos ecrãs aumenta para nove por dia.

A investigação da Common Sense Media, que analisou as respostas de 2.658 adolescentes norte-americanos, conclui que os jovens preferem a música e a televisão aos restantes meios de comunicação. Dois terços dos adolescentes ouvem música todos os dias e 58% indicou que via televisão diariamente.

No entanto e, ao contrário do que seria de esperar, apenas 45% afirmou consultar as redes sociais todos os dias e só 36% disse gostar muito da atividade.

As raparigas são as que passam mais tempo nas redes sociais, mas também as que lêem mais livros. Já os rapazes apreciam mais jogos online, gastando 56 minutos diários com esta atividade, quando as raparigas dispensam apenas sete minutos por dia para esta atividade.

A televisão é a líder das atividades preferidas pelos jovens. É o meio onde grande parte dos adolescentes vê os vídeos que lhes interessam, no horário original em que são transmitidos. Apenas metade dos jovens divide o tempo entre ver vídeos online e voltar atrás na programação para assistir a uma série.

Uma das maiores preocupações dos pais e dos cientistas é o hábito de os jovens estarem em frente a um ecrã enquanto fazem os trabalhos de casa. Metade dos adolescentes inquiridos afirmaram que veem “muita televisão” estão nas redes sociais enquanto estudam, enquanto 76% admitiu ouvir música.

Só 6% dos inquiridos admitiu que desempenhar estas tarefas, em simultâneo, pode ser prejudicial.

“Como pai e educador há claramente muito trabalho a fazer em torno do assunto do ‘multi-tasking’. Quase dois terços dos adolescentes de hoje em dia dizem que ver televisão ou enviar mensagens, enquanto fazem os trabalhos de casa, tem algum impacto na habilidade de estudar e aprender. Apesar de haver cada vez mais pesquisas que provam o contrário”.


Em Portugal, de acordo com um estudo da Faculdade de Motricidade Humana, os jovens passam cerca de três horas por dia na Internet, sobretudo nas redes sociais.