Os antibióticos podem ter mais efeitos negativos do que se pensava até agora. Um novo estudo afirma que este tipo de medicamentos, quando tomado durante a infância, pode contribuir para o aumento de peso durante o resto da vida.

Até agora já se sabia que os antibióticos tornavam as bactérias mais resistentes aos tratamentos e várias investigações já ligaram os medicamentos ao desenvolvimento de vários problemas de saúde. Contudo, nunca tinha sido provado que os antibióticos tinham impacto no nosso aspeto físico.

A Escola de Saúde Pública Johns Hopkins descobriu um elo entre a utilização de antibióticos e o índice de massa corporal, em particular nas crianças. De acordo com a  Time, quanto maior o período de exposição das crianças a este tipo de medicamentos, maior é a probabilidade de estas virem a ganhar peso durante as suas vidas.

O estudo monitorizou 142.824 crianças, entre os três e os 18 anos, para tentar perceber se ganhavam peso e, caso se verificasse, se este era temporário, reversível ou duradouro.

Os cientistas concluíram que a maior parte das crianças tomava uma a duas doses por ano de antibióticos, ganhando alguns quilos, que eram rapidamente perdidos.

No entanto, os efeitos cumulativos foram muito mais surpreendentes: os investigadores detetaram que, comparadas com aqueles que nunca tomaram antibióticos, as crianças que já tinham sido medicadas com medicamentos deste tipo tendiam a ganhar peso ao longo dos anos. Este aumento no índice de massa corporal era também mais difícil de reverter.

Em média, quem tomava antibióticos ganhava entre 0.7 a 1.5 quilos, durante a infância.
 

“Quanto mais antibióticos se toma, mais forte é o efeito. E parece agravar-se à medida que as crianças se tornam mais velhas”, explicou Brian Schwartz, o principal responsável pelo estudo.


O cientista disse ainda que este efeito no peso pode estar relacionado com a interação entre os medicamentos e as bactérias intestinais. “Uma simples dosagem de antibiótico pode eliminar uma colónia inteira de bactérias intestinais” benignas, que ajudam a controlar o peso.
 

“Se a toma de antibióticos não for frequente, as bactérias conseguem recuperar. Mas, se for excessiva, os impactos podem ser duradouros, a ecologia das bactérias intestinais muda e não volta ao que era antes”.